Perguntas frequentes sobre a manutenção de ossos normais

Calcitrin ajuda no normal funcionamento dos ossos e articulações, permitindo um melhor movimento do corpo.  Este suplemento auxilia na formação de colagénio e um melhor funcionamento das cartilagens. Contém CAD3, Magnésio, Vitamina C, Condroitina e Glucosamina, que são importantes para o fortalecimento dos ossos e articulações e ajuda a prevenir doenças que colocam em risco a sua saúde.

O Calcitrin é composto por fosfato tricálcio, fosfato dicálcico e vitamina D3. Ele fornece, por cada comprimido: 186,4 mg de ião de Cálcio, 110,4 mg de ião de Fósforo e 5 µg de Vitamina D3.

O cálcio é necessário para a manutenção de ossos normais, o fósforo é o segundo elemento mais importante quando se trata de manter a saúde e a integridade dos ossos, ficando apenas atrás  do cálcio, enquanto que a Vitamina D contribui para a normal absorção e utilização do Cálcio e do Fósforo.

O magnésio ajuda na diminuição de dores e elimina a sensação de cansaço permanente. A Condroitina, também presente no Calcitrin, ajuda na renovação das cartilagens, pela inibição da ação de enzimas no corpo.

Este complexo vitamínico é um grande aliado para uma vida melhor, cheia de energia e com longevidade. Com apenas 2 comprimidos por dia, antes do pequeno-almoço e antes do jantar, irá notar diferenças dentro de pouco tempo.

O fósforo é o mineral que está mais presente em todo o organismo humano, seguido do cálcio, e é muito importante para a saúde óssea e para o bom funcionamento do metabolismo. É responsável por várias funções do corpo como, por exemplo, a libertação de energia, formação dos ossos e dentes, transporte de oxigénio e diversas funções celulares.

Para além das funções referidas, o fósforo age em conjunto com o sistema endócrino, controla os batimentos cardíacos e ajuda a regular o nível de pH do sangue. Deve de existir uma relação de valores equilibrados entre fósforo e o cálcio.

O consumo de suplementos alimentares com fósforo ajuda na manutenção de ossos e articulações fortes e saudáveis.

A dose diária de fósforo recomendada para a população portuguesa adulta é de 800 mg. Para além da suplementação, pode obter fósforo na sua alimentação diária ao incluir sementes, amêndoas, sardinha, iogurte natural, amendoim e salmão. A absorção do fósforo é maior quando os níveis de Vitamina D estão regularizados.

A dose diária de cálcio recomendada para a população portuguesa adulta é de 1000mg. Para o ajudar a manter os níveis recomendados de cálcio existem alimentos ricos neste mineral que pode incluir na sua dieta diária, tais como: Leite e os seus derivados (queijos ou iogurtes), vegetais, bebidas vegetais, frutos secos e sementes, como chia.

Para repor os valores recomendados de cálcio assim como o aumento da sua absorção no organismo é recomendado:

  • Praticar exercício físico regularmente: A prática de exercício físico faz bem à sua saúde e ao seu bem-estar. Exercícios como caminhadas, corrida e aulas de dança, contribuem para a repor níveis cálcio pelo organismo pois o impacto dos exercícios permite uma maior absorção deste mineral.
  • Diminuir o consumo de sal: o sal, principalmente quando consumido em excesso, pode fazer com que o cálcio seja eliminado pela urina e, por isso, ao ingerir quantidades menores ou substituir o sal, vai existir uma maior absorção do cálcio presente nos alimentos.
  • Exposição Solar: Apanhe sol, preferencialmente da parte da manhã, durante 20 minutos, para aumentar os níveis de Vitamina D, que é uma substância essencial na ajuda à absorção de cálcio.
  • Consumo de alimentos ricos em cálcio: É importante que insira na sua dieta alimentar produtos ricos em cálcio como leite e os seus derivados e vegetais. Este último, deve de incluir quase sempre no seu almoço e jantar.
  • Evite bebidas com cafeína: Bebidas com cafeína, como café e chá preto, têm efeitos diuréticos, o que resulta na eliminação do cálcio através da urina, antes de ser absorvido pelo organismo.

Sendo a dose diária de cálcio recomendada de 1000mg para a população adulta, é importante que inclua na sua dieta os alimentos ricos em cálcio, que podem ser de origem animal ou de origem vegetal.

Dentro dos alimentos ricos em origem animal temos o leite, os produtos derivados do leite como os iogurtes, sardinha sem pele, mexilhão e ostras.

Dentro dos alimentos de origem vegetal temos a amêndoa, manjericão, grão de soja cru, semente de linhaça, farinha de soja, agrião, nozes ou espinafre cozido.

A vitamina D é importante para os ossos pois ajuda na absorção do cálcio, sendo fundamental para a manutenção e regeneração óssea. Para além disso, regula a quantidade de cálcio e fósforo de forma a aumentar a absorção dos mesmos por parte do intestino.

A vitamina D é o principal agente com o poder de combater os problemas ósseos dentro do nosso corpo. Nas quantidades certas, a vitamina D consegue proteger contra várias doenças como osteoporose e diabetes 1.

Para aumentar os seus níveis de vitamina D pode recorrer a algumas das suas principais fontes como a exposição solar – que é responsável pela produção de cerca de 80% deste nutriente – consumir peixes mais gordurosos, cogumelos, ovos ou leite. Os bons e variados hábitos alimentares podem responder a uma produção de 10 ou 20% de vitamina D.

Sim. O magnésio, obtido através da alimentação, é o quarto mineral mais abundante no nosso organismo. Cerca de metade deste mineral encontra-se nos ossos e dentes e outra grande parte ao nível muscular, estando também repartido pelo organismo. Contribui para o normal funcionamento do sistema muscular e nervoso pois atua diretamente na estabilidade da junção neuromuscular assim como na estabilidade das ativações muscular e cardíaca.

Sim, pois é o colagénio que dá sustentação e elasticidade aos nossos tendões, ligamentos, cartilagens e ossos.

 O colagénio está presente em diferentes partes do nosso corpo como, por exemplo, nas nossas articulações, que são muito importantes pois são responsáveis por muitos dos movimentos que realizamos. As articulações conectam os ossos do esqueleto humano aos outros ossos e cartilagens.

Com o avançar dos anos, o corpo reduz drasticamente a produção de colagénio. Por isso, é importante o consumo de alimentos ricos em colagénio como carne, peixe, gelatina, ovos, frutos secos, entre outros.